Buscar
  • Newton Cannito

O hipocondríaco que virou negacionista

Humberto era um hipocondríaco militante. Do tipo que acha que a verruga é câncer de pele e que, em todos os dias de sua vida, tem uma sensação corporal que ele mesmo define como pré-dor. Estou com pré-dor de dente, pré-dor de garganta, pré-dor de estômago, et cetera e et cetera.


Mesmo sem ter trabalho em home office e passando por imensas dificuldades financeiras. Humberto passou todo 2020 preso sozinho em sua humilde residência .


2021 chegou com a expectativa da vacina. Humberto estava radiante. Era um ativista da razão e passava seus dias produzindo textões no facebook exigindo a vacinação ampla, geral e irrestrita


Dia 17 de janeiro de 2021 foi um grande dia para Humberto. Assistiu a mesa inteira da Anvisa e comemorou o início oficial da vacinação no Brasil, abrindo um champanhe e se embriagando com sua única garrafa de pinga.


Foi um porre solitário.


“Já já eu vou para o regime semi-aberto” , disse ele radiante para seu ursinho Kurt, sua única companhia do período pandêmico. E dormiu feliz, sonhando com sua alegre volta a vida das ruas.


Poucos dias depois, no entanto, tudo iria mudar.


Ao ver a previsão de vacina para sua faixa etária, Humberto se desesperou. Era quase um ano!


Um ano não dá! Não aguento mais! Preciso trabalhar. Quero dar uma volta!


Eu preciso sair! Eu preciso sair. Eu preciso bater perna!


Ele finalmente compreendera aquele meme que o enfurecera no início da pandemia!


Eu preciso sair! Eu preciso sair!


Humberto realmente precisava sair


E saiu!!


Pela primeira vez em quase um ano, Humberto foi até o mercadinho da esquina. Com medo, cuidado e tensão. Mas foi.


Naquela noite a culpa corroeu sua alma


Humberto lembrava do momento que tocou na máscara, da hora que coçou o olho, daquele instante que esqueceu de passar o álcool gel. Tudo o deixava culpado!


Naquela mesma noite, Humberto teve um surto. Ele queria sair, mas não tinha coragem.

Eu não posso sair, mas eu preciso sair, eu preciso trabalhar , eu não tenho comida, mas eu posso morrer, eu não quero morrer, eu não posso morrer, quem vai cuidar dos meus filhos, eu não tenho filhos, eu não posso morrer sem ter tido filhos, eu não quero ser entubado, tenho medo de morrer sem oxigênio, ai meu deus, ai meu deus, o que faço meu deus?


Humberto sofria muito.


A química de seu corpo fez uma estranha combinação de ansiedade para sair de casa com pânico e culpa por ter saído no dia anterior.


Humberto teve uma pré-tosse, uma pré-dor de garganta e uma azia muito forte, pois passou a noite toda testando seu paladar na cozinha.


Foi só de madrugada, já cansado, já sem saber o que fazer, já em desespero, já zapeando na net que ele entregou sua alma a voz de nosso presidente negacionista!


- A Vacina não é segura!

- Isso é só uma gripezinha

- Eu não pego, pois sou esportista!

- A culpa é do STF!


O estranho é que aquela voz que ele tanto odiava, começou a fazê-lo relaxar.

Foi ouvindo o presidente gritar loucuras que ele finalmente conseguiu dormir.


Os gritos de Bolsonaro foram sua canção de ninar.

Foi nesse dia que Humberto começou a virar um negacionista!!


No início era um negacionista tímido, como quase todo brasileiro é.

Achava que o Covid 19 não era tudo que ele pensara inicialmente.

Começou a sair, a respirar, curtir, pegar um barzinho.

Primeiro apenas ao ar livre.


Descobriu que, em tempos pandêmicos, toda praia é praia de nudismo facial, um paraíso utópico onde todos andam sem máscara pois, segundo a tradição tropical:


- Aqui o covid não chega!


Aquilo o relaxou. Foram dias felizes!


Mas Humberto sempre foi um radical. Um homem de fé!


Quando percebeu que não pegou covid começou a querer se superar.


Em pouco tempo já estava sem máscara em inferninhos fechados, se entregou ao mundo de sodoma e gomorra pré-apocalíptico daquele ano que não terminava, daquele ano sem vacina, se entregou até a prazeres secretos que nem nos anos pré-pandêmicos ele tinha coragem de experimentar.


Humberto soltou o frango. Se sentiu potente.


E virou bolsominion.


O fato de alguns morrerem perto dele não o abalou, sua fé era invencível


As provas científicas não o afetavam pois, segundo ele mesmo disse num momento inspirado:


- Nenhuma prova é maior que a minha fé. Que a minha fé na vida, a minha fé na minha própria experiência. Se eu nao peguei até hoje, eu não pego mais!!


Disse ele, enquanto pulava numa grande cama para participar de uma deliciosa orgia.


Para Humberto, não existia nada maior que sua tão desesperada fé!


E nenhuma ciência de globalista nerd iria destruí-la.


“A fé é minha e ninguém tira. Eu preciso dela. Para trabalhar. Para viver. Para curtir.”


As vezes, quando chegava suado do treino - inspirado pelo seu mestre, Humberto também virou um esportista - ele olhava para o pôster do Presidente , obviamente sem mascara, e pensava, enquanto enxugava o suor do rosto:


- Foi esse homem que me ensinou a coragem e a disposição para viver a vida.


Em pouco tempo, Humberto virou líder do movimento negacionista!


Em resposta ao Covid 19, ele lançou o Com Vida 21, um movimento que libertava as pessoas das máscaras e se negava a tomar vacina!


Com a demora da vacina para as pessoas jovens e de meia idade (já estávamos em julho e nada) o movimento começou a crescer.


Impossibilitados de tomar vacina, cada vez mais pessoas se entregavam aos prazeres da vida negacionista.


Uma estranha estatística da época revela que o movimento Com Vida 21 crescia na mesma proporção que crescia o número de mortos por Covid 19. Eram os dois lados do mesmo vírus.


Humberto viralizou e se tornou um grande líder.


Sua campanha de facial nudes, que mostrava pessoas sem máscara em espaços públicos, foi o hit do twitter por todo mês de agosto. Até celebridades e influencers aderiram!


Logo o movimento começou a organizar manifestações públicas e a postar facial nudes em ambientes fechados.


A coisa cresceu.


E o presidente chegou a citá-lo numa live na Alvorada. Humberto assistiu com seus novos amigos influencers num inferninho secreto.


O caso virou Supremo e Humberto foi condenado em uma sessão transmitida ao vivo pela Globonews.


Na prisão fez um facial nudes coletivo de sua cela que uniu várias facções!


Era a nova revolta da Vacina!


E Humberto foi assim até o fim. Até seus últimos dia, ele lutou e viralizou de rosto nu,


Já internado seu maior sonho era ser atendido por enfermeiras sem máscara. Sua maior tristeza foi que nenhuma aceitou.


Suas útlimas palavras. antes de ser entubado, foram “foda-se Covid! Estarei com vida 21 até o fim”.


Infelizmente o fim chegou logo em seguida.


Ironicamente, o líder do Com vida 21 perdeu a vida ainda em 21.

No dia de hoje, Humberto nos deixou. Foi mais uma vítima do covid 19.


Seu enterro será no mesmo dia que se inicia a vacinação para as pessoas de sua faixa etária.


Foi um herói brasileiro , que não desiste nunca.


Ou um teimoso tropical, que só desiste morto.


Mas o fato mesmo é que Humberto tentou ser racional até onde conseguiu.


No entanto, diante da loucura da realidade brasileira, acabou sendo mais uma vítima da própria irracionalidade.


Ele é um alerta para todos nós. Obrigado Humberto querido.


Descanse em paz!


126 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo